• Português
  • Español
  • English
  • Alemao
  • Francês

CONTATO

Circuito praias do Sul

« Voltar para Grande Florianópolis

Enviado por Dauro Veras em 00/00/0000

O Sul da Ilha de Santa Catarina é rumo certo para quem ama a natureza preservada, mas não abre mão de boa infra-estrutura. Praias limpas e belas, trilhas em meio à Mata Atlântica, dunas, costões, cachoeiras e lagoas compõem um ambiente privilegiado. Fazendas de ostras abastecem a deliciosa gastronomia local. Vilas de pescadores e um casario colonial dão o charme da cultura açoriana. A região é bem servida por hotéis, pousadas e comércio.

No verão, uma grande afluência de sotaques muda a rotina. As melhores baladas são curtidas ao calor do sol. Tribos distintas confraternizam nas praias. Surfistas, praticantes de parapente, windsurf, mergulho... Há espaço tanto para os apreciadores de futebol de areia como para os que lagarteiam na esteira com um bom livro. E também para os que preferem sombra, paquera e cerveja.

As opções fora da praia vão desde banho nas águas doces da Lagoa do Peri – onde se pode fazer trilhas, praticar canoagem e vela – a cursos de rapel, passeios de barco e de bicicleta, pescarias, degustação de frutos do mar... Incluem também lojas de artesanato, presentes, surfwear e confeitarias. Uma das maiores fábricas de pranchas do mundo (Tropical Brasil) está na região, aberta à visitação.

Campeche
Nos anos 1920, o escritor e aviador francês Antoine de Saint-Exupéry aterrissava nesta vila de pescadores quando fazia a rota do correio aéreo entre a Europa e a América do Sul. O local, situado a 23 km do Centro, é hoje um bairro residencial bem servido por comércio e serviços, cuja avenida principal foi batizada Pequeno Príncipe. Da praia, se avista a Ilha do Campeche, a pouco mais de mil metros da costa. A versão brasileira da Ilha de Páscoa abriga inscrições rupestres com mais de 5.000 anos. A praia do Campeche fica entre a Joaquina e o Morro das Pedras. São quase 4km de areia branca, dunas, restingas e mar grosso.

Os principais pontos de concentração de veranistas são o fim da Avenida Pequeno Príncipe, onde há bares e restaurantes; Riozinho, lugar de esportes de praia; e o Bar do Seu Chico, tradicional ponto de encontro, que só abre no verão. Do Morro do Lampião descortina-se uma visão panorâmica dos arredores. Lá se pode praticar rapel.

Morro das Pedras
Um costão ladeado por árvores, pela rodovia SC-406 e por um morro coberto de mata – com mirante – é o acidente geográfico que divide as praias do Campeche e da Armação. O mar explode com força nas pedras, num dos cenários mais bonitos da Ilha. A praia é muito freqüentada pelos surfistas. Perto fica o Parque Municipal da Lagoa do Peri.

Armação, Matadeiro, Lagoinha do Leste
Tradicional vila de pescadores, a Armação do Pântano do Sul já foi base para os caçadores de baleias. A comunidade ainda é um dos principais núcleos de pesca artesanal da Ilha. De lá partem barcos à Ilha do Campeche. Também é possível alugar embarcações para mergulho em praias e ilhas. A Armação é muito freqüentada por surfistas, em especial na parte Norte. Matadeiro, a praia seguinte, está rodeada por morros e floresta. É outro pico de surfe, de parapente e arvorismo. É também ponto de partida para a trilha que dá acesso à Lagoinha do Leste. Depois de um trecho inicial pela mata, segue-se o tempo inteiro margeando costões. O percurso pode levar até 2h.

Lagoinha do Leste é a praia mais selvagem da Ilha. Não seria exagero dizer que está entre as mais bonitas do Brasil. Fica em um parque municipal coberto de mata e morros, com acesso apenas por trilha ou barco. Uma pequena lagoa e uma cachoeira completam o cenário. Outra rota de acesso tem menos atrativos e é mais íngreme, mas pode ser feita em apenas 45 minutos. Em geral ela é percorrida na volta, pois leva às delícias da mesa no Pântano do Sul.

Pântano do Sul, Solidão, Saquinho
A 31 km do Centro, a praia do Pântano do Sul é muito procurada por famílias que apreciam tranqüilidade e boa comida. O Bar do Arante é a principal referência em frutos do mar. Os arredores também são compensadores. A praia da Solidão, com sua cachoeira, bares e restaurantes, é a última com acesso por carro. Dali parte uma trilha de 1,5 km até a pequena e isolada praia do Saquinho, onde vivem duas dezenas de famílias. Pode-se prosseguir pela mata, beirando costões, até a praia de Naufragados, numa trilha de cerca de 4h que exige bom condicionamento físico.

Um caminho que pode ser percorrido de carro é o do Sertão do Ribeirão, antiga povoação da Ilha. A estradinha passa por riachos, mata nativa, plantações de cana-de-açúcar e permite lindas vistas. Nessa rota é possível conhecer um dos últimos alambiques do Sul da Ilha onde se fabrica cachaça artesanal. Do Sertão do Ribeirão há trilhas para a Lagoa do Peri e para o Ribeirão da Ilha.