• Português
  • Español
  • English
  • Alemao
  • Francês

CONTATO

Cidade encantada do Tirol em Santa Catarina

« Voltar para Vale do Contestado

Enviado por Dauro Veras em 16/10/1995

                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                Texto original: Dauro Veras
Adaptação: Letícia de Assis

Cidade de artistas que cultivam as belas artes e as tradições, Treze Tílias é um pedaço da Europa no sul do Brasil.

    Imagine uma pacata cidade de 4.020 moradores, aconchegada entre colinas verdes no Oeste de Santa Catarina, com economia baseada na pecuária leiteira e agricultura. Agora imagine uma cidade cosmopolita, impregnada de arte, música e história, habitada por gente bonita que adora receber visitas e cultivar as tradições. Junte os dois quadros e terá o esboço de Treze Tílias, a mais austríaca das cidades brasileiras. Um lugar fascinante para quem busca algo mais que um destino turístico convencional. Descobrir Treze Tílias, também conhecida como “o tirol brasileiro”, exige um breve mergulho na máquina do tempo.

Um pedaço da Europa

    Boa parte da população de Treze Tílias tem dupla nacionalidade e vota nas eleições austríacas, pelo correio.
    A situação educacional do município é invejável para os padrões brasileiros. Praticamente não há analfabetos nem desempregados. Na escola, as crianças estudam, além do português, alemão desde o jardim de infância até o fim do curso secundário. Um centro de preparação da criança fornece treinamento em marcenaria, escultura e artesanato, estimulando a tradição artística.
    Apegados à beleza dos detalhes, os moradores de Treze Tílias se orgulham da arquitetura de suas casas em estilo tirolês. Muitas têm o sino no telhado – um típico meio de comunicação – e o galo, que simboliza a disposição para o trabalho. Caminhar sem pressa pelas ruas tranquilas da cidade é um convite a belas surpresas, principalmente se o visitante estiver disposto a fazer amizades.

Espírito aberto

    No domingo de manhã, depois da missa, por exemplo, o restaurante Kandlerhof é ponto de encontro de um animado grupo de amigos que tomam cerveja, batem papo em alemão e jogam Watten – o “truco” austríaco, com um baralho trazido de lá.
    Um pouco mais adiante, o restaurante-camping Felder é outro ponto obrigatório para quem gosta de uma boa prosa. Se o visitante tiver sorte, pode pegar uma “canja” de música tirolesa tocada pelo proprietário numa harmônica, uma espécie de acordeon.

Bons anfitriões

    Treze Tílias é bem servida de restaurantes e hotéis, com preços variáveis de acordo com a estação, mas bem acessíveis. A primavera é uma boa época para visitar a cidade, que fica cheia de flores. No dia 13 de outubro, realiza-se todos os anos uma grande festa em comemoração da chegada dos pioneiros. Se escolher essa data, é bom fazer reserva com antecedência.
    As opções culturais incluem cinco grupos de dança, dois corais e a Banda do Tiroleses, fundada no navio em que vieram os primeiros imigrantes. O grupo de dança folclórica Schuhplatter, um dos mais ativos, faz em torno de 50 apresentações anuais em diversas cidades e em outros países.
    Entre os pontos de visitação que valem a pena conhecer, estão o Museu do Imigrante (terça a sexta-feira das 14h às 18h, sábados e domingos das 9h às 11h), o Castelinho, construído em 1936, que servia de residência ao ministro Andreas Thaler e de central de atendimento à comunidade; Linha Pinhal, uma comunidade italiano a 14 km do centro da cidade, onde se vende produtos coloniais como queijo, vinhos e salame; a gruta de Babenberg, a 7 km do centro, e a capela Maria Dreizehnlinden, onde se chega subindo o morro por várias trilhas entre a mata nativa – o visual compensa o esforço da caminhada. Há muitos recantos que podem ser descobertos pelo visitante observador. Não é difícil percorrer toda a área urbana a pé. O difícil mesmo é partir sem ficar apaixonado pelas pessoas e pelo lugar.